Texto
Texto, uma editora do grupo LeYa leYa

Fazer um Curriculum Vitae

O que é um Curriculum Vitae

O Curriculum Vitae é um documento conciso, no qual relatas, por ordem cronológica (do mais antigo para o mais recente), a "história" do que fizeste durante a tua vida profissional, onde referes o que sabes fazer, onde e quando aprendeste a fazê-lo e, se houver espaço (o Curriculum Vitae tem o tamanho ideal de duas folhas A4), algumas indicações sobre o que fazes nos teus tempos livres e actividades extra-profissionais.

Não confundas o Curriculum Vitae com a resposta à oferta de emprego "X" à qual te estás a candidatar: salvo indicação em contrário, é numa carta anexada que deves salientar quais os aspectos do teu Curriculum Vitae que fazem de ti o(a) melhor candidato(a) para a função em questão.


O que o Curriculum Vitae deve conter

  • Uma foto tipo passe actual (não interessa que estejas muito giro(a) naquela foto de há um ano se ninguém te reconhecer a partir dela).
  • Os dados pessoais pertinentes, que te identificam, os teus contactos e outros elementos, como número de contribuinte e de carta de condução.
  • As competências académicas (12.º ano , frequência universitária, licenciatura em ..., mestrado, etc.), por ordem cronológica; e, por favor, não comeces no 1.º Ciclo.
  • Competências pertinentes mas adquiridas fora do contexto académico: domínio de determinadas línguas, conhecimentos de informática, etc., também por ordem cronológica de "aquisição".
  • As funções desempenhadas, por ordem cronológica, das mais antigas para as mais recentes.
  • As actividades extra-profissionais (prática de desporto, colaboração com organizações de solidariedade social, etc.).
  • No final, a data e a assinatura do(a) candidato(a).

Deves ter na tua posse (mas não os envies com o Curriculum Vitae, a menos que tal seja pedido no anúncio) os documentos que comprovam as habilitações que referes. Ou seja, certificados de habilitações, certificados de frequência dos cursos "X" e "Y", entre outros.

Não te esqueças que as palavras-chave são: simplicidade, síntese, objectividade.
E atenção à máxima: "Um Curriculum Vitae não é uma autobiografia."

E nunca esqueças que, ao enviar o teu Curriculum Vitae, pretendes que a(s) pessoa(s) que o leiam pensem "Aqui está uma pessoa que parece ter o perfil desejado para a função. Vamos chamá-la para uma entrevista."


Quando fazer o Curriculum Vitae


Quando respondes a um anúncio de emprego que o solicite.

Quando pretendes encontrar emprego (ou mudar) e não encontras nenhum anúncio que te satisfaça e fazes uma "candidatura espontânea". Ou seja, quando envias o teu Curriculum Vitae e uma carta de apresentação para empresas que te agradam e onde pensas que, mais cedo ou mais tarde, haverá uma vaga para alguém com o teu perfil.

Periodicamente, para o manter actualizado, pois, em alguns casos, podes começar a "esquecer-te" de todas as actividades pertinentes que realizas.


Estrutura-tipo de um Curriculum Vitae

1. Dados pessoais

Nome
Filiação (facultativo)
Naturalidade
Idade
Estado Civil
Situação Militar
Número do Bilhete de Identidade
Número de Contribuinte
Número da Carta de Condução e data de emissão
Morada
Telefone
E-mail

2. Habilitações Literárias

Nível de escolaridade, ano de conclusão dos níveis referidos e média do ano de escolaridade ou curso.

3. Formação Profissional/Outras habilitações

Cursos e Certificados adquiridos em Escolas Profissionais ou em empresas.

4. Experiência Profissional

Locais em que já trabalhaste, funções e cargos que desempenhaste e período em que desempenhaste tais funções.
Esta é a parte essencial do Curriculum Vitae, aquela que mais conta para a entidade empregadora.

5. Outras informações relevantes

Domínio/fluência (falada e escrita - discriminar) em línguas estrangeiras, actividades culturais, desportivas, de acção social, entre outras, que possam ser pertinentes para uma melhor caracterização do(a) candidato(a).


Alguns conselhos práticos

  • Tenta não fazer um Curriculum Vitae com mais de duas páginas A4. OK... se tiveres uma experiência profissional longa e pertinente podes ir até às três.
  • Nunca, nunca apresentes um Curriculum Vitae manuscrito. Apresenta sempre um original (nada de fotocópias).
  • Usa palavras simples, evita adjectivos e termos vagos. Exemplo: "Tenho uma prática relativamente grande na gestão..." - O que é algo "relativamente grande"?! Difícil de avaliar, certo? Facilita a vida de quem ler e melhora a tua imagem utilizando termos como "experiência de X tempo na função Y".
  • Constrói frases curtas, preferencialmente com uma só oração.
  • Na linha da sugestão anterior, aconselhamos-te a informar; ou seja, não refiras "muito" ou "pouco" mas sim "quantos" (5 anos? 10%? ).
  • Usa sempre os mesmos critérios. Exemplo: se começaste a escrever as datas na forma 2003/03/17, não mudes de repente para 17/03/2003.
  • Se usares siglas, escreve o seu significado entre parêntesis; se para ti é claro quando afirmas que trabalhaste dois anos em projectos do CIMP, tal pode não o ser para quem lê...